[Reflexão]O contra empoderamento de Anitta

08 January 2018

O contra empoderamento de Anitta.

Não faz muito tempo, vemos uma jovem cantora decolar nas paradas de sucesso com um ritmo ainda marginalizado, em um mix de roupagem pop. Alguém que vai até aos programas de tv e age como se estivesse na casa de um amigo, tão a vontade com as câmeras, que parece que ela estava destinada a elas sem dúvida alguma.

Mc Larissa, que mais tarde tornou-se Anitta, hoje é conhecida não só pela sua música, mas pelo papel que representa na sociedade. Você concordando ou não!!! A menina que tempos atrás entrou em conflito com a Pitty e com todo o movimento feminista, por declarações um tanto quanto incoerentes aos que ela mesmo estava propondo com seu trabalho, amargou a falta de sororiedade tão defendida, mas não se abalou com isso. Parece-me que ela não se abala com nada que veja nessa roupagem de verdade absoluta.

Hoje, diz que tenta fazer a sua parte. Seja aparecer sem tratamentos de vídeo, com a celulite a mostra em seu novo clipe “Vai Malandra” em um dos momentos mais importante de sua carreira.

Anitta, deslancha para o sucesso internacional, tem levado o pop funk brasileiro para além do Rio-São Paulo, e o faz gerenciando a própria carreira, e vida pessoal. Casou-se,sem alardes, sua carreira é pautada por seu trabalho e não por escândalos para manter-se no auge das colunas sociais.

Mas o empoderamento de Anitta incomoda, e muito. Não conseguimos ver na menina que saiu da marginalizada sociedade carioca para o mundo, alguém a se inspirar. Ela que já dizia que seria alguém de sucesso, alguém grande, incomoda por ter sonhado alto, em uma sociedade que já decretou onde cada pessoa deve estar. Seria o nosso complexo de vira-lata novamente gritando aos 4 ventos? Amamos artistas internacionais, que bom, os clipes não são lá muito diferentes do que da nossa nova musa nacional, mas por que quando é do Brasil incomoda tanto? Por que ser uma brasileira incomoda tanto?

Não sei, mas sei que o empoderamento que a Anitta está construindo, é muito mais do que o da batida pop/funk que fica por dias nas nossas cabeças. Ela esta mostrando que é possível sim realizar grandes sonhos, mesmo quando a sociedade diz que não.

Que tenhamos mais Anittas em todas as áreas desse Brasil e que sirva para refletirmos em dar apoio aos talentos que surgem do “Oiapoque ao Chuí”.